CST surpreendida com posição do regulador sobre o atraso na implementação do 4G em STP

CST surpreendida com posição do regulador sobre o atraso na implementação do 4G em STP

 

Na passada quarta-feira, dia 19 de Maio, no âmbito da celebração alusiva ao dia das telecomunicações, a CST foi convidada pelos órgãos de comunicação social para entrevistas sobre o setor.

 

No decorrer das mesmas, a CST foi questionada sobre o atraso da introdução no país da rede móvel 4G - fundamental para a melhoria do acesso à internet com mais qualidade e velocidade.

 

A CST, em resposta, indicou que está preparada para a implementação do 4G, mas que aguarda uma resposta da AGER. Indicou também que, lamentavelmente, no continente Africano apenas 3 países ainda não implementaram 4G, nomeadamente: Eritreia, República Centro Africana e São Tomé e Príncipe.

 

Após a mesma, a CST foi surpreendida com as declarações da AGER, segundo as quais não teriam recebido nenhum pedido para a introdução do 4G no país.

 

Posto isto, a CST gostaria de esclarecer publicamente que:

 

  1. Compete à AGER promover o desenvolvimento das telecomunicações no país e garantir o alinhamento tecnológico com os restantes países do mundo;

 

  1. Para tal, a AGER deve trabalhar junto com os operadores de telecomunicações, incentivando o investimento no setor;

 

  1. No entendimento da CST o próximo passo no desenvolvimento das telecomunicações no país passa, pela introdução da rede 4G, pelo que iniciou a preparação da sua rede móvel para esta nova tecnologia;

 

  1. Por isso, questionou por diversas vezes à AGER sobre o plano para a introdução do 4G;

 

  1. Preocupada com o considerável atraso do processo, a CST submeteu à AGER um pedido para a implementação inicial da rede 4G, em formato de piloto de testes, no dia 1 de Março de 2021, que anexamos a este comunicado http://bit.ly/CST_4G_1

 

  1. Apesar das insistências, o pedido enviado pela CST não teve qualquer resposta por parte do regulador, até à presente data.

 

Assim, a CST não compreende as declarações da AGER quando indica não ter recebido nenhum pedido.

 

A CST lamenta ainda que a AGER não tenha explicado porque é que São Tomé e Príncipe está hoje na cauda do desenvolvimento das telecomunicações, ficando como um dos últimos 3 países em África que ainda não avançou para o 4G, quando a CST já solicitou a autorização para a introdução desta tecnologia.

 

Considerando que a introdução da tecnologia no país já conta com quase 1 década de atraso comparativamente a outras geografias, a CST considera que todas as partes devem ter como foco a implementação do 4G o mais rápido possível e não continuar a atrasar o mesmo por questões de foro processual ou burocrático.

 

A CST continua empenhada na implementação da rede 4G no país, garantindo assim um acesso à internet mais rápido e com melhor qualidade, ficando a aguardar a autorização solicitada.